Poesia: Aline Aimée


volteio

– tic tac –

ao redor de mim

dínamo emperrado

dois pra frente

um pra trás

foxtrot do retorno

impulso engasgado

um soco nas costas:

cuspo

a tuberosa dormida

e quente

processada

no chuvisco estático

do rewind.


 

 

reféns do silêncio sabemo-nos

prisioneiros

do que não se deve

somente ao delírio entregues

do que não será

porque excede

padecemos cínicos

danados

e demasiado breves.


 

 

há um instante

dependurado

e ele é azul –

fala com minhas angústias,

busca aveludá-las

de firmeza.

pinça o raio mais insuspeito

na base de mim

ergue-me, para elevar-me,

revelar-me,

recém parida em alabastro.


 

Aline Aimée é do Rio, tem 33 anos, é formada em letras e tem um blog dedicado à  literatura desde 2008.

Também tem um livro de poemas, “12 pétalas, nenhuma flor“, publicado de forma independente no site Clube de Autores.


Colagem: Carolina Maia


Carolina Maia

Sobre Carolina Maia

Carolina alguns anos viveu em Itabira (principalmente nasceu etc) e estuda história da arte. Acumula canetas, abas abertas no navegador e desculpas para ver mais filmes do que deveria.